SpaceView divulga a cobertura de suas imagens de satélite no Brasil

SpaceView divulga a cobertura de suas imagens de satélite no Brasil

A operadora chinesa SpaceView divulgou a cobertura de imagens de satélite dos sensores GaoFen-2 (GF-2), SuperView-1 e ZiYuan-3 (ZY-3). A TecTerra é revenda autorizada da SpaceView, operadora conhecida pela grande agilidade dos seus satélites na coleta de novas imagens de alta e média resolução e de possuir as melhores condições comerciais do mercado.

GaoFen-2 (GF-2)

O GaoFen-2 (GF-2) foi lançado em 19 de agosto de 2014 e adquire imagens com 80 centímetros de resolução nas bandas Vermelho, Verde, Azul e Infra-Vermelho (RGB e IR). O GaoFen-2 (GF-2) é conhecido por ser o satélite de alta resolução com as melhores condições comerciais do mercado seja para dados de acervo ou programação e agilidade de revisita na aquisição de uma imagem de satélite atualizada.

imagem de satélite atualizada

Estádio Nacional de Beijing (Ninho do Pássaro) na China

O GaoFen-2 (GF-2) coletou até Março de 2018 imagens de aproximadamente 90% do território brasileiro.

imagens de satélite atualizadas

SuperView-1

O SuperView-1 foi lançado no dia 26 de dezembro de 2016 e coleta imagens com 50 centímetros de resolução espacial
nas bandas do Vermelho, Verde, Azul e Infra-Vermelho (RGB e IR). No dia 09 de Janeiro de 2018 foram lançados com sucesso mais dois satélites da constelação SuperView-1. Hoje a constelação compreende quatro satélites orbitando na altitude de 520 km.

Super View-1

Parte do Parque Olímpico de Beijing na China

A constelação SuperView-1 coletou até o início de Abril de 2018 imagens de satélite de aproximadamente 70% do território brasileiro.

imagens de satélite super view

ZiYuan-3 (ZY-3)

ZiYuan-3 (ZY-3) 01 foi lançado em janeiro de 2012 e o 02 em maio de 2016. Assim ele compreende em 2 satélites idênticos entre si que adquirem imagens com de 2,1 metros de resolução nas bandas do Vermelho, Verde, Azul e Infra-Vermelho (RGB e IR). Ele se destaca por ter sido o primeiro satélite civil chinês que obtêm pares estereoscópicos e assim Modelos Digitais de Elevação (MDE) e curvas de nível.

imagem de satélite zy3

Rodovias, áreas urbanas e agriculturáveis na China

A constelação ZiYuan-3 (ZY-3) coletou até de Março de 2018 imagens de aproximadamente 97% do território brasileiro.

imagens de satélite ZY3

A cobertura de imagens representadas nos mapas não considera parâmetros como porcentagem de nuvens e ângulo de aquisição das imagens. Entre em contato conosco através do telefone (31) 3071-7080 ou do e-mail contato@tecterra.com.br para obter uma amostra e verificarmos a disponibilidade de imagens de satélite de acervo ou adquirir uma imagem de programação.

Lançados mais três satélites da constelação GaoFen-1 (GF-1)

Lançados mais três satélites da constelação GaoFen-1 (GF-1)

Ocorreu com sucesso o lançamento de mais três satélites da constelação GaoFen-1 (GF-1)Os satélites de Observação da Terra foram lançados na China da base de Taiyuan, província de Shanxi, no dia 31/03/2018 às 03:22 UTC (11:26 hora de Beijing). 

Veja o lançamento no vídeo abaixo

 

A TecTerra Geotecnologias é revenda autorizada da Space View operadora chinesa das imagens de satélite GaoFen-1 (GF-1). O GaoFen-1 (GF-1) tem diversas soluções geoespaciais e de fornecimento de imagens de satélites de Observação da Terra de média resolução espacial. Os setores de aplicação das informações e serviços são no planejamento territorial e ambiental, monitoramento, energia, silvicultura, agronegócio, mineração, obras de engenharia, mineração, silvicultura, etc.

A constelação GaoFen-1 (GF-1)

Após o lançamento de mais três satélites a constelação GaoFen-1 (GF-1) será composta por 4 satélites capazes de adquirir imagens de média resolução espacial. Após testes e calibrações os três satélites juntamente com o existente serão capazes de imagear a superfície terrestre em 11 dias com revisita em um mesmo local da Terra de 2 dias. isto possibilitará a aquisição de uma imagem de satélite atualizada e diversas aplicações de monitoramento de áreas.

O GaoFen-1 (GF-1) é versátil sendo capaz de obter imagens de média resolução com diferentes especificações técnicas. São elas:
  • 2 metros pancromática (tons de cinza) e 70km de faixa de imageamento
  • 8 metros multiespectral (coloridas RGB e IR) e 70km de faixa de imageamento
  • 2 metros multiespectral (coloridas RGB e IR) e fusionadas (PAN + MS) e 70km de faixa de imageamento
  • 16 metros multiespectral (coloridas RGB e IR) e e 800 km de faixa de imageamento
imagens de satélite Gaofen

Imagem de satélite GaoFen-1(GF-1) de área de agricultura na China com 2 metros de resolução espacial nas bandas RGB e IR

Veja mais detalhes e especificações técnicas sobre o GaoFen-1 (GF-1) em nosso site.

Mais um lançamento de satélites chineses

No mês de Janeiro foram lançados dois satélites da constelação SuperView-1. O SuperView-1 possui 50 centímetros de resolução espacial nas bandas RGB e IR e compreende no total de 4 satélites idênticos entre si. Até o final do ano de 2022 a constelação estará completa e terá 16 satélites ópticos capazes de adquirir imagens de alta resolução. Veja a notícia completa em nosso blog.

Os outros satélites de Observação da Terra da operadora Space View são o GaoFen-2 (GF-2)ZiYuan-3 (ZY-3), SuperView-1 e Huanjing-1A&B (HJ-1A&1B) e também comercializados pela TecTerra Geotecnologias.

Entre em contato conosco através do telefone (31) 3071-7080, do WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou pelo email contato@tecterra.com.br para enviarmos uma amostra e verificarmos a disponibilidade de imagens de satélite da sua área de interesse.

Space View divulga as primeiras imagens do satélite SuperView-1 3 e 4

Space View divulga as primeiras imagens do satélite SuperView-1 3 e 4

A operadora chinesa Space View divulgou as primeiras imagens do satélite SuperView-1 3 e 4. Os satélites de Observação da Terra SuperView-1 3 e 4 foram lançados na China da base de Taiyuan, província de Shanxi, no dia 09 de janeiro de 2018 às 11:26 hora local. Desta maneira a constelação SuperView-1 compreenderá quatro satélites orbitando na altitude de 520 km. Até o final do ano de 2022 a constelação estará completa e terá 16 satélites com as mesmas características. Veja mais informações sobre o lançamento em nosso blog.

Abaixo as especificações técnicas básicas do SuperView-1
  • Bandas: R (red), G (green), B (blue) e IR (infra-vermelho)
  • Resolução espacial: 50 centímetros
  • Largura da faixa de imageamento (swath): 12 km
  • Área mínima para aquisição: Acervo de 25 Km² (2.500 Hectares) e programação 100 Km² (10.000 Hectares)

Veja mais detalhes e especificações técnicas do SuperView-1 em nosso site.

As primeiras imagens de satélite foram obtidas no mês de janeiro de 2018 e mostram a Cidade Proibida em Beijing na China, o Porto de Alexandria no Egito, do Aeroporto Internacional de Dubai e do Burj Dubai ambos nos Emirados Árabes Unidos.

SuperView-1 3 e 4

Cidade Proibida em Beijing na China. Imagem de 24 de janeiro 2018

SuperView-1 3 e 4

Aeroporto Internacional de Dubai nos Emirados Árabes Unidos. Imagem de 16 de janeiro de 2018

imagem de satélite SuperView-1

Burj Dubai nos Emirados Árabes Unidos. Imagem de 16 de janeiro de 2018

SuperView-1

Porto de Alexandria no Egito. Imagem de 14 de janeiro de 2018

Os outros satélites de Observação da Terra da operadora chinesa Space View são o GaoFen-1 (GF-1)GaoFen-2 (GF-2)ZiYuan-3 (ZY-3) e Huanjing-1A&B (HJ-1A&1B) e também comercializados pela TecTerra Geotecnologias.

Entre em contato conosco através do telefone (31) 3071-7080, do WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou pelo email contato@tecterra.com.br para enviarmos uma amostra e verificarmos a disponibilidade de imagens de satélite da sua área de interesse.

Operadora 21AT lança promoção de imagens de satélite TripleSat

Operadora 21AT lança promoção de imagens de satélite TripleSat

Para comemorar o Ano Novo Chinês a operadora chinesa 21AT lançou uma promoção com condições comerciais especiais para imagens de satélite TripleSat. Os descontos são de 40% para imagens de acervo e 20% para imagens de programação e os pedidos devem ser realizados do dia 31 de Março.

O TripleSat consiste em uma constelação de 3 satélites calibrados geometricamente e radiometricamente e portanto idênticos entre si. Eles adquirem imagens de satélite com 80 centímetros de resolução espacial e coletam informações de várias partes da Terra com grande agilidade. A constelação foi lançada em Julho de 2015 e até o final do ano de 2017 os satélites coletaram imagens de aproximadamente 40% do território brasileiro.

Acervo de imagens de satélite TripleSat

Imagens de satélite TripleSat disponíveis em acervo e adquiridas até o 31 de Dezembro de 2017

Veja abaixo as especificações técnicas básicas do TripleSat
  • Resolução espacial: 80 centímetros (alta resolução)
  • Bandas: R (Vermelho), G (Verde), B (Azul) e IR (infravermelho próximo)
  • Faixa de imageamento: 3 km para imagens de acervo e 5 km para imagens de programação (novas coletas)
  • Estereoscopia: Sim
  • Área mínima de aquisição: 25 Km² (2.500 Hectares) para imagens de acervo e 100 Km² (10.000 Hectares) para imagens de programação
  • Descontos: 20% no preço de tabela para imagens de programação e 40% no preço de tabela para imagens de acervo

 

Acervo de Imagens de satélite TripleSat

Composição colorida e falsa-cor no Rio Ivaí nos municípios de Julio de Castilhos e Boa Vista do Incra – Rio Grande do Sul

 

Entre em contato conosco através do telefone (31) 3071-7080, do WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou através do
e-mail contato@tecterra.com.br para enviarmos uma amostra de uma imagem de satélite TripleSat e verificarmos a disponibilidade de imagens da sua área de interesse.

TecTerra se torna revenda autorizada das soluções RESTEC

TecTerra se torna revenda autorizada das soluções RESTEC

A TecTerra Geotecnologias se torna revenda autorizada da operadora japonesa RESTEC e comercializará as imagens dos sensores PRISM, PALSAR 2 (Radar/SAR) e dos produtos e soluções AW3D.

A RESTEC (Remote Sensing Technology Center of Japan)  foi criada em Agosto de 1975 pela JAXA (Japan Aerospace Exploration Agency) e fornece dados de Sensoriamento Remoto por imagens de satélite e dados geoespaciais em geral. Os dados que serão comercializados pela TecTerra são o AW3D (dados geoespaciais), PALSAR-2 (sensor RADAR/SAR do satélite ALOS-2) e PRISM (sensor do satélite ALOS).

AW3D

Os produtos e soluções AW3D consistem em uma série de dados geoespaciais gerados a partir de imagens de satélite. A partir disto geram-se simulações em ambiente 2D e 3D, Modelos Digitais de Elevação (MDE), Modelo Digital de Superfície (MDS), Modelo Digital de Terreno (MDT), planialtimetria de construções e edificações, etc.

Abaixo os produtos e soluções AW3D disponíveis no Brasil
  • AW3D Standard
  • AW3D Enhanced
  • AW3D Building
  • AW3D Telecom
  • AW3D Airport

AW3D

MDT e MDS AW3D

Modelo Digital de Superfície (MDS) e Modelo Digital de Terreno (MDT) AW3D Standard

Os Modelos Digitais de Elevação (MDE) AW3D Standard não precisam de Pontos de Controle (GCP’s) para terem alta precisão e acurácia garantidos pela RESTEC e estão disponíveis para praticamente toda a superfície terrestre.

AW3D Standard

Área de cobertura do AW3D Standard

PALSAR-2

O sensor PALSAR-2 (Phased Array type L-band Synthetic Aperture Radar) está a bordo do satélite ALOS-2 (Advanced Land Observing Satellite) com acervo existente desde o segundo semestre de 2014. Ele constitui em um Radar/SAR (banda – L) para diversas aplicações com diferentes especificações técnicas sobretudo na resolução espacial que varia de 1 metro até 100 metros e o tamanho das cenas de 25 km a 490 km.

Palm Islands em Dubai

PRISM

O sensor PRISM (Panchromatic Remote-sensing Instrument for Stereo Mapping) estava a bordo do satélite ALOS (Advanced Land Observing Satellite) sendo lançado em Janeiro de 2006 e teve sua missão descontinuada em Maio de 2011.  Desta maneira ele possui um rico acervo de imagens de satélite e seus dados são indicados para análises históricas e multitemporais. Suas imagens são pancromáticas com 2,5 metros de resolução espacial e com a possibilidade no modo “triplet”, a partir de estereoscopia, de gerar Modelos Digitais de Elevação (MDE).

 

ALOS PRISM

Imagem de satélite ALOS sensor PRISM de 2010. Paragominas – PA

 

Para obter mais informações sobre os diferentes produtos da RESTEC, entre em contato conosco através do e-mail contato@tecterra.com.br ou pelo telefone (31) 3071-7080.

INPE lança o TerraMA2Q voltado para análise e alerta de queimadas

INPE lança o TerraMA2Q voltado para análise e alerta de queimadas

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apresenta a técnicos e gestores ambientais de todo o Brasil o TerraMA2Q, uma nova ferramenta para análise e alerta de queimadas. A inovação está na plataforma computacional que permite a cada usuário “programar” o sistema de acordo com suas necessidades, melhorando o combate aos incêndios florestais.

Uma das maiores ameaças ambientais do planeta, as queimadas descontroladas afetam o clima, provocam a erosão do solo, causam mortes e a extinção de espécies, entre outras graves consequências.

No Brasil, em 2017, já foram registradas pelo INPE duas mil detecções a mais do que em 2004, quando os satélites captaram 270.295 focos – recorde de uma série de dados orbitais iniciada em 1998. E os números continuam a subir;

A detecção sistemática de focos de calor realizada pelo INPE é pioneira e a mais completa desenvolvida no mundo. “Desde a década de 1980 são aprimoradas as tecnologias para o monitoramento de queimadas por meio de imagens de satélites, que é particularmente útil em regiões remotas sem meios intensivos de acompanhamento, condição que representa a situação geral do Brasil”, diz Alberto Setzer, coordenador do Programa Queimadas do INPE.

O TerraMA2Q leva a tecnologia para mais perto do combate ao fogo. “Esta nova plataforma permitirá regionalizar a tomada de decisão em salas de situações e comitês estaduais que terão autonomia para criar seus próprios modelos de análise, com base na experiência do INPE”, diz Eymar Lopes, coordenador do TerraMA2Q.

TerraMA²

O TerraMA2Q é baseado na plataforma computacional TerraMA², criada pelo INPE para construção de sistemas de monitoramento, análise e alerta de riscos ambientais, que vem sendo aperfeiçoada desde 2006 e serve para diferentes aplicações – desde qualidade do ar e da água, incêndios, enchentes e estiagens, até a gasodutos, barragens de rejeitos em área de mineração, movimentos de massa do tipo escorregamentos e corridas de lama, entre outras.

O que mudou na quarta geração da plataforma TerraMA² foi toda a base tecnológica”, explica o coordenador do projeto. “Novas tecnologias de desenvolvimento de softwares foram utilizadas de modo que as interfaces com o usuário estão apresentadas em aplicações web, podendo ser acessadas, configuradas e manipuladas de qualquer ponto da internet”, completa Lopes.

O TerraMA2Q foi desenvolvido no âmbito do “Programa Cerrado”, uma iniciativa de cooperação entre o Brasil e o Reino Unido, por meio do Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais (DEFRA), com apoio do Banco Mundial.

Coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e gerenciado pela Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais (Funcate), o programa busca contribuir para a mitigação da mudança do clima e para a melhoria da gestão de recursos naturais no bioma Cerrado.

Os resultados desse projeto subsidiarão gestores em secretarias de meio ambiente, defesa civil, brigadas de incêndios, entre outras instituições que monitoram a ocorrência de fogo no Brasil, ao desenvolvimento de sistemas de coleta, análise e alerta, integrando as equipes de campo com a sala de situação.

Avanços com o TerraMA2Q

A nova geração da plataforma TerraMA² foi totalmente reestruturada para ficar mais amigável, ágil, flexível e compatível com padrões internacionais de geoprocessamento (Open Geospatial Consortium – OGC). Os principais avanços são:

  • Armazenamento e acesso a dados geoespaciais nos padrões OGC SFS – SimpleFeature Access e serviços web como WMS (Web Map Service), WCS (Web Coverage Service) e WFS (Web Feature Service);
  • Capacidade para trabalhar com bases de dados distribuídas, tanto para dados estáticos quanto dinâmicos;
  • Suporte a diferentes arquiteturas para armazenamento dos dados: arquivos vetoriais, arquivos matriciais, servidores de bancos de dados e serviços web;
  • Execução de serviços locais ou remotos em diferentes máquinas;
  • Administração de usuários e gerencia de projetos por interface WEB;
  • Novo visualizador WEB de monitoramento;
  • Análise por scripts na linguagem de programação Phyton, com novos operadores geográficos sobre dados ambientais.
Veja mais informações sobre o TerraMA2Q em:

http://www.inpe.br/queimadas
http://www.inpe.br/queimadas/terrama2q

Fonte: INPE

Free WordPress Themes, Free Android Games