Topografia por satélite aplicada à mineração: Porque é a metodologia tecnicamente e economicamente mais viável?

Topografia por satélite aplicada à mineração: Porque é a metodologia tecnicamente e economicamente mais viável?

As aplicações de imagens e topografia por satélite cresceram nas últimas décadas. O aumento dos sensores disponíveis, assim como das soluções e produtos desenvolvidos a partir de imagens de satélite, faz com que as aplicações sejam cada vez mais demandadas. Para mineração a topografia é amplamente utilizada para estudos e controle de barragens, planejamento e monitoramento de mina além de trabalhos de Geotecnia e Engenharia Geotécnica.

Tecnicamente a Topografia por Satélite possibilita em prazo inferior a 30 dias a obtenção de Modelos Digital de Terreno (MDT) com até 50 cm de resolução espacial e 1 metro de equidistância entre as curvas de nível, atendendo o Padrão de Exatidão Cartográfica Classe “A” (PEC A).  É uma metodologia notável pela grande precisão e acurácia, facilidade na aquisição de dados pelo acervo de informações e baixo custo financeiro, sem a necessidade de coletas de Pontos de Controle (GCP’s) em campo.

Na mineração a Topografia por satélite é um excelente custo/benefício para projetos que não demandam o nível de detalhamento alcançado pelo perfilamento a laser (LiDAR) aerotripulado ou por drones/vants que gera dados de terreno com resolução superior aos obtidos por satélite. É importante ressaltar que estereoscopia por drones/vants, é inadequada para obtenção de Modelo Digital de Terreno (MDT).

Topografia por satélite

MDT AW3D e Imagem de Satélite SuperView-1

Em trabalhos para este mercado é indispensável para estudo de viabilidade de barragens, de drenagem e cavas. Um dos produtos provenientes das imagens de satélite é a geração de topografia, com dados planialtimétricos tanto com Modelo Digital de Superfície (MDS) como com Modelo Digital de Terreno (MDT). A Topografia por Satélite é uma solução adquirida a partir da utilização de pares estereoscópicos e multivisão acrescida a aplicação de filtros, que permitem a geração da topografia com precisão e acurácia.

São algumas das aplicações da Topografia por Satélite para mineração:
Topografia por Satélite em trabalhos de Segurança de Barragens e DAM BREAK – Lei 12334/2010

Para segurança e monitoramento de barragens, as soluções da TecTerra auxiliam no cumprimento do Plano de Ações de Emergência – PAE, integrante do Plano de Segurança de Barragens, previsto na Lei 12334/2010. Outras aplicações são a realização de topografia de barragens e análises planialtimétricas de elevação do nível por Modelo Digital de Terreno e Superifície (MDT e MDS) e/ou simulação de rompimento de barragens (DAM BREAK).

Topografia por satélite MDEHC

Topografia por satélite AW3D – Modelo Digital de Elevação Hidrologicamente Consistente (MDEHC)

Como um dos produtos de Topografia por Satélite a TecTerra Geotecnologias oferece o AW3D da operadora japonesa RESTEC. Os produtos cartográficos são o Modelo Digital de Superfície (MDS), Modelo Digital de Terreno (MDT) nas resoluções de 50 cm, 1 metro, 2 metros, 2,5 metros e 5 metros e curvas de nível. Temos flexibilidade ao trabalharmos com pequenas, médias e grandes áreas e com dados de acervo ou programação (novas coletas).

Entre em contato com a equipe comercial da TecTerra através do telefone (31) 9 9817-5638, do WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou envie um e-mail para contato@tecterra.com.br para estudarmos a melhor solução para o seu projeto e enviarmos maiores especificações técnicas dos diferentes produtos e tecnologias.

Texto de: Lucas Campos – Diretor Comercial da TecTerra Geotecnologias – lucas.campos@tecterra.com.br

RESTEC lança promoção para o AW3D e imagens de Radar/SAR do PALSAR-2

RESTEC lança promoção para o AW3D e imagens de Radar/SAR do PALSAR-2

A operadora japonesa RESTEC lançou uma promoção para aquisição de produtos de topografia por satélite AW3D e imagens de Radar/SAR do PALSAR-2. O que motivou a RESTEC a lançar esta promoção foi o de oferecer de produtos e serviços que possam ser adquiridos no período de pandemia e isolamento social, portanto com restrições ou sem a necessidade de trabalhos de campo.

aw3d RESTEC

PALSAR-2

As imagens de radar do sensor PALSAR-2 (Phased Array type L-band Synthetic Aperture Radar 2) se constitui em um Radar/SAR (banda – L) que está a bordo do satélite  ALOS 2 (Advanced Land Observing Satellite 2). A obtenção de imagens de radar independem das condições meteorológicas como em localidades com grande presença de nuvens e névoas.

Produtos disponíveis
  • SpotLight (SPT): Spotlight mode
  • Resolução espacial: 1m ou 3m
  • Swath: 25km

 

  • StripMap (SM): Alta resolução espacial
  • Resoluções espaciais: 3m, 6m, e 10m
  • Swath: 50km ou 70km

Os pedidos devem ser realizados até o dia 25 de dezembro de 2020.

Descontos de até 50% do preço de tabela somente para instituições de ensino e pesquisa.

Palm Islands em Dubai - Emirados Árabes Unidos

Palm Islands em Dubai – Emirados Árabes Unidos

AW3D

O AW3D compõem produtos e soluções de Modelos Digitais de Elevação (MDE), sejam Modelos Digitais de Superfície (MDS) e Modelos Digitais de Terreno (MDT) gerados através de topografia por satélite. Essas tecnologias são conhecidas no mercado pela grande precisão e acurácia, facilidade na aquisição, vasto acervo, aplicações em diversos mercados e por ser uma tecnologia de baixo custo financeiro sem a necessidade de trabalhos de campo para coletas de Pontos de Controle (GCP’s).

Produtos disponíveis
AW3D Standard
  • MDT: 2,5m de resolução espacial
  • Curvas de nível: 10m
  • Imagens de satélite ortorretificadas: 50cm de resolução espacial
AW3D Enhanced
  • MDT: 1m de resolução espacial
  • Curvas de nível: 1m
  • Imagens de satélite ortorretificadas: 50cm de resolução espacial

Os pedidos devem ser realizados até o dia 30 de novembro de 2020

AW3D Enhanced – Congonhas – MG

 

Entre em contato com a equipe comercial da TecTerra através do telefone (31) 9 9817-5638, do WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou pelo e-mail contato@tecterra.com.br para obter mais informações  sobre as condições comerciais da promoção.

 

Texto de: Lucas A. Camargos – Diretor Técnico da TecTerra Geotecnologias – lucas.camargos@tecterra.com.br

TecTerra assina contrato com a AxelSpace para distribuição de imagens de satélite em Plataforma WEB

TecTerra assina contrato com a AxelSpace para distribuição de imagens de satélite em Plataforma WEB

No mês de setembro de 2020 a TecTerra assinou contrato com a startup japonesa AxelSpace para a distribuição de soluções em sensoriamento remoto a partir da constelação de satélites GRUS. O GRUS é um microssatélite de observação da terra com câmera acoplada capaz de adquirir imagens com 2,5 m de resolução espacial. O primeiro satélite foi lançado em 2018 e outros 4 serão lançados ainda em 2020. A intenção da AxelSpace é ter a constelação de 20 satélites em órbita até 2022.

O GRUS captura imagens no espectro pancromático (escala de cinza)  com 2,5 m de resolução espacial. Ainda fornece imagens de satélite multiespectrais (coloridas) nas  bandas azul, verde, vermelho, vermelho limítrofe – RedEdge (útil para análise de vegetação) e infravermelho próximo. Apesar de ser um microssatélite, ele utiliza o que há de mais moderno em tecnologia óptica e de sensores para fornecer imagens com mais de 57 km de largura, permitindo uma cobertura altamente eficiente da superfície terrestre.

Especificações técnicas básicas do GRUS
  • Lançamento: GRUS-1A em dezembro de 2018 e mais 4 satélites idênticos em outubro de 2020
  • Órbita: Héliosíncrona com altitude de 600km
  • Resolução espacial: 2,5 metros no modo pansharpened
  • Bandas: Vermelho, verde, azul, infravermelho próximo e RedEdge (vermelho limítrofe)
  • Swath (faixa de imagemamento): 57 km +
  • Bits: 12 bits
  • Comercialização: Plataforma WEB
  • Aquisição: acervo e programação (nova coleta)

A constelação de satélites GRUS atualizará as imagens da Terra diariamente, permitindo usos para monitoramento e análises históricas para os setores da agricultura, silvicultura, pesca, mapeamentos diversos, GIS e monitoramento de desastres.

NDVI em cultivos agrícola - Brasília, DF

NDVI em cultivos agrícola – Brasília, DF

Diferenciais da AxelSpace: Plataforma WEB e banda RedEdge (vermelho limítrofe)

Além da inovação na esfera da engenharia aeroespacial, a AxelSpace  apresenta o sistema AxelGlobe que permite o acesso em nuvem ao banco de imagens, utilizando-se um navegador comum para a visualização de todas as imagens da área de interesse a ser mapeada.

Outro diferencial, o GRUS fornece a banda RedEdge (vermelho limítrofe) que se aplica muito bem para estudos de vegetação no que diz respeito à análise de clorofila e estresse hídrico, para fins de planejamento de irrigação e melhoria da qualidade de plantio.

A partir de então a TecTerra passa a ser uma das maiores provedoras de dados de sensoriamento remoto orbital no Brasil e incorpora em seu portfólio soluções diversas para análise espaciais e monitoramentos em curto espaço de tempo.

A AxelSpace estará junto com a TecTerra em um painel no Congresso da Agência Espacial Brasileira (AEB) a ser realizado concomitantemente à RM Vale TI 2020.

Para saber mais sobre as aplicações das soluções da AxelSpace e do GRUS e condições comerciais entre em contato com a nossa equipe comercial pelos telefones ou WhatsApp’s (31) 9 8272-8729, (31) 9 9817-5638 ou pelo e-mail contato@tecterra.com.br.

Texto de Christian Vitorino – Diretor de Novos Negócios da TecTerra Geotecnologias – christian.vitorino@tecterra.com.br

Topografia com drones e vants: Como esses levantamentos podem ser corretos metodologicamente?

Topografia com drones e vants: Como esses levantamentos podem ser corretos metodologicamente?

É notável a movimentação causada pela introdução das tecnologias de aerolevantamento não tripuladas (UAV), como drones e vants no mercado de topografia e geotecnologias. Com um leque maior de metodologias surgem novas expectativas e incertezas sobre como utilizar as tecnologias de observação da terra nos serviços de mapeamento.

Todas as metodologias têm vantagens e desvantagens, adequações e inadequações, possibilidades e impossibilidades, ameaças e oportunidades. Os trabalhos com drones e vants, assim como as imagens de satélite e aerolevantamento tripulado são alternativas que devem ser consideradas. Nesse cenário é importante entender como utilizar cada tecnologia de forma adequada e as metodologias podem ser aplicadas conforme demanda de forma exclusiva ou complementar. A metodologia a ser aplicada deve considerar variáveis técnicas, comerciais, financeiras e econômicas de cada projeto. Uma das variáveis para definir a metodologia a ser aplicada é o tamanho, nível de detalhas e a feição da área a ser trabalhada.

topografia

Alturas das tecnologias de aquisição de dados de sensoriamento remoto. Fonte: MapScaping @byMapScaping

Levantamentos planialtimétricos

Para o levantamento planimétricos apenas, em projetos pontuais ou com áreas de até 1.000 Ha, drone pode ser tecnologia mais eficiente. Para projetos zonais em áreas maiores, em resolução (GSD) de até 30 cm, os produtos de imagens de satélite ganham em produtividade e custo/benefício. Já para projetos lineares ou em áreas maiores em escala maior que que 1:1.000, o aerolevantamento tripulado é a tecnologia adequada.

Para levantamentos altimétricos, ao considerar a geração Modelos Digitais de Superfície (MDS) e Modelos Digitais de Terreno (MDT), podem ser gerados com maior nível de precisão com aerolevantamento tripulado ou não tripulado (UAV), no último caso desde que equipado com laser, como por exemplo, o LiDAR. Com a aplicação de filtros as imagens de satélite têm produtos que geram MDT a partir de multivisão ou estereoscopia com excelente custo/benefício para grandes áreas e para aplicações que não demandam o nível de detalhamento alcançado pelo laser.

A estereoscopia gerada a partir de drones óticos é recomendada para projetos de alta periodicidade de mapeamento, pontuais e em locais sem obstáculos ou coberturas no terreno como vegetação e edificações. Existem aplicações em que a estereoscopia por drone ótico é a melhor alternativa como, por exemplo, monitoramento de cava de mina, em que a informação altimétrica é dinâmica e que o MDT coincide com MDS, ou também obras em que existe a necessidade de mapear as benfeitorias.

Porém é preciso eliminar a ideia de que é possível fazer qualquer mapeamento por drone. Tecnologias de estereoscopia por drone, são inadequadas para obtenção de Modelo Digital de Terreno e em áreas em que há cobertura no solo como benfeitorias e vegetação, já que geram apenas Modelos Digitais de Superfície. Em alguns projetos se comete o erro metodológico de se utilizar no processamento, técnica que consiste na generalização da informação no objetivo de se atingir o nível do terreno. Na prática é um falseamento da informação na tentativa gerar Modelo Digital de Terreno, o que é inadequado para qualquer aplicação técnica e que tem valor apenas ilustrativo.

Existem diversas opções de topografia por sensoriamento remoto no mercado com distintas variáveis metodológicas que se adequam as necessidades do cliente, orçamento e nível de detalhes das informações que se deseja obter. Assim com orientações técnicas e comerciais adequadas os usuários e clientes podem obter produtos cartográficos de topografia com boa qualidade e adaptados a cada projeto.

Para saber mais sobre aplicações de topografia entre em contato com a nossa equipe comercial pelo telefone (31) 9 9817-5638, WhatsApp (31) 9 8272-8729 ou pelo e-mail contato@tecterra.com.br.

Texto de: Lucas Campos – Diretor Comercial da TecTerra Geotecnologias – lucas.campos@tecterra.com.br

TecTerra se torna revenda das soluções Hexagon Geospatial

TecTerra se torna revenda das soluções Hexagon Geospatial

A TecTerra Geotecnologias assinou no início do mês de julho de 2020 um contrato com a Hexagon Geospatial para a distribuição de soluções geoespaciais. A Hexagon Geospatial compõe uma linha de softwares e soluções dentro do Grupo Hexagon, líder global para os mercados de sensores, softwares e soluções autônomas.

Para isso, a TecTerra apresenta o portfólio da Hexagon Geospatial, destacando-se os softwares GeoMedia e ERDAS Imagine e a totalidade de suas extensões. Além do sistema M.App, plataforma em nuvem de processamento, visualização e gestão de banco de dados geográficos via web.

GeoMedia Hexagon em aplicação para Planejamento Territorial

GeoMedia em aplicação para Planejamento Territorial

Com a incorporação do portfólio da Hexagon Geospatial, a TecTerra passa a prover o mercado de geotecnologias com soluções geoespaciais e plataformas de mapeamentos e SIG (Sistemas de Informações Geográficas), ao abrigar dados georreferenciados capturados por uma grande variedades de sensores remotos, destacando-se imagens de satélite, aerofotogrametria, LiDAR, laser terrestre e dados de VANT’s.

Soluções Hexagon Geospatial

As soluções Hexagon Geospatial criam processos simples para traduzir informações geoespaciais em ações corretivas, preventivas e promover o compartilhamento de informações sobre a superfície terrestre e sua relação com dados estatísticos. A partir da conectividade e integração das soluções, possibilita ao usuário melhorias nos processos de planejamento e resposta, além de um aumento na produtividade e na qualidade do resultado final.

Plataforma M.App da Hexagon em aplicação para o Agronegócio

Plataforma M.App em aplicação para o Agronegócio

O uso das soluções geoespaciais permite ao usuário criar seu próprio produto ou solução com as plataformas da Hexagon Geospatial, no caso o GeoMedia, ERDAS Imagine e M.App. Essas plataformas possibilitam configurações de soluções para diferentes funções e casos de uso capazes de transformar problemas complexos em análises simples.

Dessa forma, as soluções podem ser aplicadas em diferentes mercados, por exemplo:

  • Agricultura de precisão
  • Energia
  • Telecom
  • Água e Saneamento
  • Segurança Pública
  • Saúde e epidemiologia
  • Óleo e Gás
  • Cidades Inteligentes
  • Órgãos Governamentais
  • Mineração

Para saber mais sobre as aplicações das soluções Hexagon Geospatial entre em contato com a nossa equipe comercial pelos telefones ou WhatsApp’s (31) 9 8272-8729, (31) 9 9817-5638 ou pelo e-mail contato@tecterra.com.br.

Texto de Christian Vitorino – Diretor de Novos Negócios da TecTerra Geotecnologias – christian.vitorino@tecterra.com.br